• Geografia da cidade do RJ

 

A CIDADE DO RIO DE JANEIRO

A cidade do Rio de Janeiro - a cidade brasileira mais conhecida no mundo - é a capital do Estado do Rio de Janeiro, a segunda maior metrópole da República Federativa do Brasil e a quarta maior da América Latina, Situada no sudeste do país, foi capital do Império Português na época das invasões de Napoleão, capital do Império do Brasil, e capital da República até a inauguração da cidade de Brasília, na década de 60. 

      Mundo                                              Brasil                                                Rio de Janeiro

 

      

 

É um dos maiores centros econômicos, culturais e financeiros do país, sendo internacionalmente conhecida por diversos ícones culturais e paisagísticos, como o Pão de Açúcar, a estátua do Cristo Redentor (uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno), as praias de Copacabana, Ipanema e Barra da Tijuca, entre outras, o Estádio do Maracanã, bem como por eventos como o Réveillon na praia de Copacabana (um dos maiores do planeta) e por seu Carnaval. A cidade é sede das duas maiores empresas brasileiras, a Petrobras e a Companhia Vale do Rio Doce, e também das principais empresas de petróleo e de telefonia do Brasil, bem como da maior empresa de comunicações do País, a Rede Globo.

A cidade é conhecida também como "Cidade Maravilhosa" e aquele que nela nasce é chamado de carioca (segundo autores, de cari+oca = “casa de branco”). 

 

POSIÇÃO GEOGRÁFICA E POPULAÇÃO 

Com 6,45 milhões de habitantes e expectativa de vida de 73,2 anos (estimativa IBGE/2014), situa-se a 22ª54´23´´ de latitude sul e 43º 10´21´´ de longitude oeste (Hora Local GMT – 3), no Município do RJ e é a capital do Estado do Rio de Janeiro (com 16,46 milhões de habitantes), na Região Sudeste do Brasil. Ao norte limita-se com vários outros municípios do Estado, sendo ao sul banhada pelo Oceano Atlântico, a leste pela Baía de Guanabara e a oeste pela Baía de Sepetiba. Suas divisas marinhas são mais extensas que as terrestres.

 

DIMENSÕES 

O Município do RJ estende-se 70 km de leste a oeste e 44 km de norte a sul, e tem uma área da ordem de 1.255 km2, incluindo as ilhas (com mais de 37 km2) e as águas continentais (num litoral com 246 km) e está dividido em 32 Regiões Administrativas com 159 bairros. 

 

RELÊVO 

O relêvo carioca está filiado ao sistema da Serra do Mar, recoberto pela floresta da Mata Atlântica. É caracterizado por contrastes marcantes, montanhas e mar, florestas e praias, paredões rochosos subindo abruptamente de baixadas extensas, formando um quadro paisagístico de rara beleza que tornou o Rio de Janeiro mundialmente conhecido como a Cidade Maravilhosa.  

Apresenta três importantes grupos montanhosos, mais alguns conjuntos de serras menores e morros isolados em meio a planícies circundadas por esses maciços principais. 

• Maciços e Pontos Culminantes: Pedra Branca / Pico da Pedra Branca (1025m); Tijuca / Pico da Tijuca (1022m); Gericinó / Pico do Guandu (964m)

• Serras: Engenho Novo e Misericórdia

• Morros isolados: Pão de Açúcar, Viúva e Inhoaíba

• Colinas: Outeiro da Glória

• Planícies: Guaratiba, Jacarepaguá e Campo Grande

• Restingas: Copacabana, Ipanema-Leblon, Marambaia e  Jacarepaguá

• Esporões: Cara de Cão ou São João e Ponta do Joá

• Tômbolos (uma espécie de barra ou restinga arenosa desenvolvida pela deposição de correntes litorâneas entre a costa e uma ilha e que pode ser submersa em maré alta): Pontal de Sernambetiba e Arpoador

 

RIOS 

O maior rio genuinamente carioca é o Cabuçu ou Piraquê, que deságua na Baía de Sepetiba após um percurso de 22 km. Os mais conhecidos são: Carioca - o primeiro a ser utilizado no abastecimento da população, rio histórico, hoje quase que totalmente canalizado – e o Cachoeira, por ser o formador das mais belas cascatas da Floresta da Tijuca (como a Cascatinha Taunay e o Salto Gabriela). O rio Guandu, originário de município vizinho, é o curso d´água de maior importância e abastece a cidade de água potável.

 

LAGOAS 

São poucas, pequenas e costeiras; a maior delas, a de Jacarepaguá,conhecida também por Camorim e Tijuca, tem cerca de 11 km²  de área. A de Marapendi têm da ordem de 3700 m² (???) e está separada da anterior pela Restinga de Jacarepaguá e do oceano pela Restinga de Itapeba. Além dessa, encontra-se na Baixada de Jacarepaguá a Lagoinha, com cerca de 170 m² (???).   

A Lagoa Rodrigo de Freitas, antiga Lagoa de Sacopenapã, uma das paisagens mais bonitas do Rio, é constituída por um espelho d´água com aproximadamente 2,4 km² na forma de um coração, que se tornou famoso e conhecido como o “Coração do Rio”; suas margens, cercadas por pequenas quadras de esportes, quiosques para alimentação, pistas para caminhadas e passeios de bicicleta, são um dos principais pontos de atração da cidade. 

 

LITORAL 

Com extensão de 246 km, divide-se em três setores: Baía de Guanabara, Oceano Atlântico propriamente dito e Baía de Sepetiba. 

• A Baía de Guanabara é a baía de maior extensão, mais recortada e a de ocupação mais antiga, sendo que o setor carioca vai da foz do Rio São João de Meriti até o Pão de Açúcar. Pouco profunda e de geografia que tem sido alterada pelos inúmeros aterros realizados, apresenta numerosas ilhas, com destaque para as ilhas de Paquetá, Brocoió e Governador (a maior).  Outros acidentes importantes são as Pontas do Caju e do Calabouço, ambas aumentadas por aterros. Em seu interior encontram-se algumas praias importantes: Ramos, Flamengo, Botafogo e Urca.

• Setor oceânico (banhado pelo Oceano Atlântico), vai do Pão de Açucar até a Barra da Guaratiba. Quando as ramificações dos Maciços da Tijuca e da Pedra Branca se aproximam do litoral, sua costa é alta; quando se afastam, sua costa é baixa. Torna-se retilínea nas regiões planas, onde aparecem belas praias de restingas, e recortada junto às regiões montanhosas. Do Leblon para leste, a faixa litorânea é densamente ocupada pela população urbana; para oeste, é mais explorada para o turismo e o lazer, contudo a ocupação humana desta área vem sofrendo grande acréscimo. Destacam-se no litoral oceânico duas praias: a da Barra da Tijuca, com seus 18 km de extensão ao longo da Av. Sernambetiba (que vai do pier da Barra da Tijuca até o Recreio dos Bandeirantes) e a de Copacabana, com 4,15 km de extensão, por sua beleza e fama internacional. 

• A Baía de Sepetiba forma o terceiro setor, que vai da Barra de Guaratiba até a foz do Rio Guandu; é pouco recortado e apresenta um único acidente geográfico importante; a Restinga de Marambaia. Nele se destacam três praias: Sepetiba, Pedra de Guaratiba e Barra de Guaratiba. A ocupação humana neste trecho é menos densa, não só pela distância que o separa do centro da cidade como também porque apresenta grandes áreas pantanosas, cobertas de manguesais. É zona de colônias de pesca. 

 

BAÍA DE GUANABARA  

A Baía de Guanabara é resultante de uma depressão entre dois blocos de falha geológica: a Serra dos Órgãos e diversos maciços costeiros, menores. Constitui a segunda maior baía, em extensão, do litoral brasileiro, com uma área de aproximadamente 380 km². 

Considerando-se a sua barra como uma linha imaginária que se estende da ponta de Copacabana até à ponta de Itaipu, esta sofre um estreitamento entre a ponta da Fortaleza de São João, na cidade do Rio de Janeiro, e a ponta da Fortaleza de Santa Cruz, na de Niterói, com uma largura aproximada de 1.600 metros. Relativamente a meio dessa passagem, ergue-se uma laje rochosa (Ilha da Laje), utilizada desde a época dos colonizadores como ponto de apoio à defesa da barra, o atual Forte Tamandaré (antigo Forte da Laje). 

As profundidades médias na baía são de 3 m na área do fundo, cerca de 8 m na altura da Ponte Rio-Niterói e de 17 m no canal de entrada da barra. Na área do fundo, onde deságuam a maior parte dos rios, o acúmulo de sedimentos constituiu manguezais, envoltos pela vegetação própria da Mata Atlântica. 

 

ILHAS 

As ilhas ocupam uma área da ordem de 37 km² e a maioria se encontra na Baía de Guanabara. Mas há também as que ficam na costa atlântica e as da Baía de Sepetiba. 

 Principais ilhas da Baía de Guanabara: Laje, Villegaignon, Fiscal, Enxadas, Governador (a maior ilha, com 30 km2), Paquetá, Cidade Universitária (conhecida como Ilha do Fundão).

 Principais ilhas do litoral atlântico: Cotunduba (em frente à Praia de Copacabana e perto da barra da Baía de Guanabara), Arquipélago das Cagarras ( em frente a Ipanema), Rasa (com um importante farol), Arquipélago da Redonda (fora da barra, à esquerda), Arquipélago das Tijucas (em frente à Barra da Tijuca), Palmas e Peças (entre o Pontal Tim Maia, antigo Sernambetiba, e a Praia Funda), Frade (junto à Barra de Guaratiba).

 Principais ilhas da Baía de Sepetiba: Bom Jardim, Nova, Cavado, Guaraquessaba, Tatu, Pescaria (unida ao continente por ponte)

 

CLIMA 

É do tipo tropical, quente e úmido, com variações locais devido às diferenças de altitude, vegetação e proximidades do oceano. A temperatura média anual é de 22º C, com médias diárias elevadas no verão (de 30º C a 32º C); as chuvas variam de 1.200 a 1.800 mm anuais. Nos quatro meses do chamado alto verão – de dezembro a março – os dias muito quentes são sempre seguidos de tardes luminosas, quando em geral caem chuvas fortes e rápidas, trazendo noites frescas e estreladas.   

 

 MEIO AMBIENTE 

A cidade do RJ apresenta paisagens de excepcional beleza cênica, tendo na água e na montanha os regentes de sua geografia exuberante. Em seus 1.255 km2 de área urbana, em meio à topografia acidentada, a cidade do RJ possui uma orla marítima extensa, duas baías, 72 praias, formações rochosas, três maciços importantes, e é irrigada por centenas de rios, canais e lagoas. Sua diversidade topográfica se estende à cobertura vegetal: florestas recobrem encostas, e espécies remanescentes da mata atlântica são preservadas no Parque Nacional da Tijuca; mata de baixada, restingas e manguezais sâo preservadas nas áreas de proteção ambiental de Grumari e Praínha.  

Embora a cidade tenha se tornado uma das maiores áreas urbanas do mundo (estimativa 2006: população de 6,14  milhões de habitantes, com densidade demográfica de 5.190 hab/ km2), cresceu em volta de uma grande mancha verde, a Floresta da Tijuca, a maior floresta urbana do mundo, a qual continua mantendo valiosos remanescentes de seus ecossistemas originais, mesmo tendo sido replantada no séc. XIX. Foi o primeiro exemplo de reflorestamento com espécies nativas. A interferência do homem trouxe mais natureza para a cidade, com a construção de parques, praças e jardins. Aos poucos os ecossistemas foram sendo protegidos por uma legislação ambiental e uma grande quantidade de parques, reservas e áreas de proteção ambiental foram sendo criados para garantir sua conservação. Dentre as Unidades de Conservação Ambiental cadastradas, destacam-se: Parque Nacional da Tijuca, Jardim Botânico, Aterro do Flamengo (nome popular do Parque Brigadeiro Eduardo Gomes), Quinta da Boa Vista, Campo de Santana, Pão de Açúcar, Morro da Urca, Morro do Leme, Parque Municipal do Penhasco Dois Irmãos, Parque da Catacumba, Parque da Cidade, Bosque da Barra, Parque Estadual da Pedra Branca, Parque Ecológico do Mendanha.