Gonzaguinha – O Eterno Aprendiz (Teatro João Caetano, até 24 de fevereiro - sexta a domingo)

Gonzaguinha – O Eterno Aprendiz 

 

...

...

Data: 04 de janeiro até 24 de fevereiro
 
Horário: sexta e sábado às 19h / domingo às 18h
 
Local: Teatro João Caetano
 
Endereço: Praça Tiradentes – Centro - RJ
...
...
O musical GONZAGUINHA: O ETERNO APRENDIZ mostra a história de um dos maiores compositores e intérpretes brasileiros, que nos deixou há 27 anos e tem como ponto de partida exatamente suas principais ferramentas de trabalho; a música e a palavra.
 
No palco, o ator Rogério Silvestre dá vida ao personagem central, o próprio Gonzaguinha, interpretando um texto poético que passeia por momentos marcantes da vida do cantor e compositor carioca; como a infância no Morro de São Carlos (RJ), os primeiros passos na carreira artística, os embates com a ditadura militar e a relação conflituosa com o pai, o rei do Baião, Gonzagão.
 
O espetáculo é uma versão poética da vida e obra do cantor e compositor Gonzaguinha e conta, além do ator Rogério Silvestre, os cantores Ana Martins, Andreia Pedroso, Bruna Moraes, Nina Jô, Paulo Francisco Tiso (‘Tutuca’) e Valdeir Valença (que se revezam semanalmente),  e os experientes instrumentistas Rafael Toledo (Guitarra, violão e voz), Jorge Gomes (bateria), Omar Fontes (teclados), Dudu Dias (baixo), Charles Reis (sax e flauta) e Cacá Franklin (percussão).
 
O espetáculo apresenta 16 canções assinadas pelo próprio Gonzaguinha - “Explode Coração”, “Recado”, “Começaria Tudo Outra Vez”, “Moleque”, “Sangrando”, “O Que é o Que é?”, “Ponto de Interrogação”, “Eu Apenas Queria Que Você Soubesse”, “Com a Perna no Mundo”, “Grito de Alerta”, “De Volta ao Começo”, “Palavras”, “É”, “Diga Lá, Coração”, “Espere por Mim, Morena” e “Vamos a Luta” – que misturam xote, samba, baião e música romântica que foram gravadas pelos maiores nomes da nossa MPB, como Maria Bethânia, Simone, Joanna, Zizi Possi, Raimundo Fagner, Ângela Maria, Cauby Peixoto  e o próprio Wagner Tiso que já participou algumas vezes do espetáculo, inclusive no dia da morte da cantora Angela Maria, no domingo, dia 30/09, homenageou a cantora, tocando ao teclado a canção “Começaria Tudo Outra Vez” que foi gravada por ele, com ela e seu maior parceiro musical, Cauby Peixoto, em 1991.
 
Com o intuito de preservar a memória desse ícone da MPB, o espetáculo apresenta passagens da vida do artista que iniciou sua trajetória na década de 60 em meio aos tropeços da ditadura militar e seguiu cantando seus amores e anseios pela vida.
 
Os temas que integram o musical também evidenciam como o compositor, numa constante busca, foi um dos poucos a falar com tanto domínio poético e olhar crítico sobre o morro, as questões sociais e o amor, recorrendo sempre a diferentes linguagens e ritmos, como o samba, o bolero e o baião.
 
Sua música - de refinada composição, mas sem perder de vista a rica cultura popular que lhe serviu de base - deu voz tanto às angústias de um país, durante os anos de chumbo sob a Ditadura Militar, quanto às paixões arrebatadoras que fazem o coração explodir.
 
Seus sambas, de inspiração contagiante, à exemplo de "O Que é, o Que é?", são um retrato fiel da alma brasileira.
 
Em 2017 Gonzaguinha foi tema do carnaval da Estácio de Sá, com o enredo "É! O Moleque Desceu o São Carlos, Pegou um Sonho e Partiu com a Estácio!" e no próximo Carnaval, a escola de samba Império Serrano escolheu como samba enredo para seu desfile no Grupo Especial em 2019, o sucesso de Gonzaguinha ‘O Que é, o Que é ?’. Será emocionante, cantar Gonzaguinha na passarela do Samba.

...

...

Minhas lembranças do Rio 

>>> Facebook +Rio

>>> Atrativos do Rio (inglês   / espanhol )

 

...