Praça Onze

  • Praça Onze

    Praça Onze, neste local próximo ao Campo de Santana, Central do Brasil e Praça da República é tratada a escravidão do Brasil, um período sombrio de nossa história, as diversas leis que conduziram à abolição da escravatura no Brasil e algumas reflexões sobre esta liberdade

     

    Leia Mais >>
  • Monumento a Zumbi dos Palmares

    Monumento a Zumbi, na Praça Onze, com 7m de altura e base piramidal em alvenaria, encimada por uma cabeça masculina confeccionada com 800 quilos de bronze, reprodução de uma escultura tida como exemplo da arte africana, homenageando "Zumbi dos Palmares",cujo mito transformou-o em moderno símbolo brasileiro da resistência do africano à escravatura

     

    Leia Mais >>
  • A escravidão e o abolicionismo no Brasil

    A escravidão e o abolicionismo no Brasil, uma abordagem sobre a escravidão, os movimentos escravagistas no Brasil, a evolução das leis abolicionistas, a erradicação da escravatura e algumas reflexões sobre esta emancipação

     

    Leia Mais >>
  • • Ato Bill Aberdeen (Slave Trade Suppression Act ou Aberdeen Act) (1845)

    Ato Bill Aberdeen (Slave Trade Suppression Act ou Aberdeen Act) (1845)

    Ato Bill Aberdeen, uma legislação inglesa de 1845 proibindo o comércio de escravos entre a África e a América e dando-lhe o direito de aprisionar navios negreiros e julgar seus comandantes, as ações inglesa e as críticas, e o projeto de lei elaborado pelo Gabinete de D. Pedro II decretando o fim do tráfico de escravos enviado ao Parlamento pelo Ministro da Justiça Eusébio de Queirós e convertido em setembro de 1850 na Lei Eusébio de Queirós 

    Leia Mais >>
  • • Lei Eusébio de Queirós (1850)

    Lei Eusébio de Queirós (1850)

    Lei Eusébio de Queirós, promulgada em 1850 após intensa pressão da Inglaterra, decretando o fim do tráfico de escravos e adotando medidas eficazes para sua extinção, fazendo com que a escravidão começasse a declinar. Progressivamente, imigrantes europeus assalariados substituíram os escravos no mercado de trabalho, mas apenas a partir da Guerra do Paraguai  o movimento abolicionista ganhou impulso com milhares de ex-escravos que retornaram da guerra vitoriosos, causando um problema social que se tornou uma questão política para a elite dirigente do Segundo Reinado. Em 1971 foi promulgada a Lei do Ventre Livre que declarava de condição livre os filhos de mulher escrava nascidos a partir desta data.

     

    Leia Mais >>
  • • Lei do Ventre Livre (1871)

    Lei do Ventre Livre (1871)

    Lei do Ventre Livre, em realidade a primeira lei abolicionista, promulgada em 1871 pelo gabinete do Visconde do Rio Branco, declarava de condição livre os filhos de mulher escrava nascidos dessa data. Porém tinha poucos efeitos práticos pois apesar dos filhos de escravos nascidos partir daí serem livres, estes eram mantidos sob a tutela dos seus senhores até atingirem a idade de 21 anos. A partir de então, o Brasil foi tomado pela causa abolicionista, resultando na Lei dos Sexagenários em 1885, que garantia liberdade aos escravos com mais de 60 anos de idade e, por último, na Lei Áurea, em 1888, que decretou o fim da escravidão no território brasileiro. 

    Leia Mais >>
  • • Lei dos Sexagenários (1885)

    Lei dos Sexagenários (1885)

    Lei dos Sexagenários, promulgada em 1885, ue garantia liberdade aos escravos com 60] anos de idade ou mais, cabendo aos proprietários de escravos indenização. A indenização deveria ser paga pelo liberto, sendo, portanto, obrigado a prestar serviços ao seu ex-senhor por  Os proprietários de escravos, inconformados, ainda tentaram anular a libertação, mas as zonas recentemente desbravadas do oeste paulista se revelavam mais dispostas à emancipação total dos escravos: ricas e prósperas, já exerciam grande atração sobre os imigrantes, mais bem preparadas para o regime de trabalho assalariado; por outro lado, os escravizados fugiam das fazendas, buscando a liberdade nas cidades. A campanha abolicionista misturou-se à campanha republicana, forçando o advendo da “Lei Áurea” que, assinada em 13 de maio de 1888 pela Princesa Isabel, finalmente extingüiu a escravidão no Brasil.

    Leia Mais >>
  • • Lei Áurea (1888)

    Lei Áurea (1888)

    Lei Áurea, em 13 de maio de 1888 a Princesa Isabel (filha do Imperador D. Pedro II) assinou esta lei,  amplamente apoiada pela maçonaria do Brasil, extinguindo a escravidão no Brasil.

     

    Leia Mais >>
  • Algumas reflexões

    Algumas reflexões sinalizam que o fim da escravatura não melhorou a condição social e econômica dos ex-escravos pois sem formação escolar ou uma profissão definida, para a maioria deles a simples emancipação jurídica não mudou sua condição subalterna nem ajudou a promover sua cidadania ou ascensão social. A Lei Áurea que se estuda na escola primária é o da doação da liberdade; entretanto, os militantes do atual Movimento Negro no Brasil evocam um outro 13 de Maio, que seria o do golpe branco contra o avanço da população negra, minoria oprimida. Num outro enfoque, o 13 de Maio é visto como conquista popular, no qual se devem centrar os debates modernos, que encarem o problema negro como problema nacional. 

     

    Leia Mais >>