Parque das Figueiras Lagoa - RJ

Trata-se de uma área extremamente aprazível para um passeio de fim de semana com a família ou para a prática de atividades físicas e eventos.

O projeto permite uso público ao espaço que se manteve privado por mais de 40 anos, onde funcionava a academia Estação do Corpo, na Avenida Borges de Medeiros, e a Boate Praia, criando um lugar arborizado com livre acesso a pedestres e ciclistas. A área foi devolvida à prefeitura em dezembro de 2012, quando começou a demolição da academia. Em 2013, foi cedido à Fifa para a Copa das Confederações e, por ser bem avaliado como central logística, voltou a ser solicitada pela Fifa para a Copa do Mundo de 2014. Este ano, as modalidades olímpicas e paralímpicas de remo e canoagem utilizaram a área. Os tapumes que cercavam o parque foram retirados na tarde de sexta-feira (10/12).

Houve todo um processo de compatibilização com o programa olímpico para aproveitarmos as árvores e os recursos existentes, tanto que a prefeitura exigiu que não se mexesse nas árvores. A ideia principal era que o lugar, após as Olimpíadas, servisse de fato à população — explicou a assessora de Zonas Olímpicas da Empresa Olímpica Municipal (EOM), Claúdia Grangeiro da Silva Castro. A criatividade é a marca principal do Parque das Figueiras. Brinquedos e bancos instalados no local foram feitos com troncos de árvores que tombaram após rajadas de vento de mais de 70 km por hora registradas no mês de novembro no Rio.

Também existem mosaicos desenvolvidos sobre manilhas que serviram originalmente para enrolar cabos de energia. Os equipamentos servem como mesas para os frequentadores do parque. As obras do parque foram realizadas em duas fases. A primeira foi concluída em 2015 e incluiu a demolição das áreas da Estação do Corpo e da Boate Praia, drenagem, iluminação e a pavimentação. Técnicos da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (Seconserva) nivelaram e asfaltaram toda a área, com a supervisão e parceria da Empresa Olímpica Municipal (EOM). Em 2015, o terreno foi utilizado para a montagem de estruturas do evento-teste de remo. 
A área foi entregue ao Comitê Olímpico Internacional (COI) em abril de 2016, conforme estabelecido no cronograma, para início das montagens do overlay de apoio as operações do OBS (Olympic Broadcast Service) e das demais instalações temporárias de apoio aos atletas e às equipes técnicas. O terreno devolvido à prefeitura em outubro de 2016. A partir daí, a Seconserva iniciou a implantação de bancos, canteiros e outros equipamentos.

Além do Parque das Figueiras, a área do Baixo Bebê — utilizada como infraestrutura do partidor da competição do remo — também sofreu uma adaptação no retorno de veículos, para atender aos requerimentos para os Jogos Olímpicos. Consolidando a implantação do novo desvio dos automóveis, de forma a constituir-se como um legado, foi elaborado um estudo para ampliação da área de jardim e de recreação infantil neste trecho da orla da Lagoa. Parque Radical — O projeto inicial para o terreno da antiga Estação do Corpo, conforme divulgado, previa um Parque Radical, a Secretaria de Conservação optou por entregar um novo parque público aos cariocas sem a característica radical. Uma área de lazer voltada para o esporte e para a família.